“MUITOS SERÃO CHAMADOS; POUCOS, NO ENTANTO, SERÃO ESCOLHIDOS”



“Não basta ser convidado; não basta dizer-se cristão, nem sentar-se à mesa para tomar parte no banquete celestial. É preciso antes de tudo e sob condição expressa, estar revestido da túnica nupcial, isto é, ter pureza de coração e praticar a lei segundo o espírito. Ora, a lei está toda inteira nestas palavras Fora da caridade não há salvação. Contudo, entre os que ouvem a palavra divina, quão poucos são os que a guardam e a aplicam proveitosamente! Quão poucos se tornam dignos de entrar no reino dos céus! É por isso que Jesus falou: Muitos serão chamados; poucos, no entanto, serão escolhidos.”[1]

Gostaria de discorrer algumas reflexões sobre os dizeres acima... Sábias Palavras que podem nos ajudar com Sublimes Pensamentos e Generosas Ações, tendo em vista o exercício cotidiano que precisamos fazer em relação ao que fazemos com os ensinamentos de Cristo.

Em primeiro lugar gostaria de chamar atenção para a reflexão que fala da importância de termos pureza de coração... Isto é, termos atitudes cotidianas que vençam sentimentos de orgulho, vaidade, soberba, avareza, egoísmo, dentre outras tantas que instigam a nos afastarmos das experiências de caridade.

As experiências de caridade, exigem  antes de tudo ouvidos atentos em relação à palavra divina. Exigem coerência em relação ao que pensamos, sentimos, falamos e agimos.

- O que pensamos sobre os ensinamentos do Evangélio? 
- O que sentimos sobre as orientações do nosso Pai Eterno? 
- O que falamos sobre o que o Cristo nos ensinou? 
- E acima de tudo, como temos agido em relação a lei de Deus?

Para vivenciarmos a lei divina precisamos de sublimes pensamentos, sábias palavras e generosas ações. Mas tudo isso, num processo de caridade cotidiana, pois a caridade exige mais do que pensamentos e palavras, exige ações concretas e diárias.

Ações que podem ser uma oração sincera, uma orientação educativa, uma cortesia no trânsito, um desejo de bom dia na hora que acordamos à nossa família, num encontro na rua, na chegada ao trabalho... inclusive ações de ajuda que podem amenizar a fome, a dor e tantas outras necessidades básicas de um ser humano.

Não adianta, ouvir a palavra divina, concordar com suas proposições e ficar só nas palavras... É fundamental torná-las vivas... Envolvê-las em práticas cotidianas, transbordá-las de sentido significado em nossas vidas.

Somos todos(as) chamados(as) a viver intensamente a palavra divina. Por isso, precisamos reconhecer esse chamamento de Deus, com vistas a vivermos a plenitude desse chamamento, por um motivo real e sublime que é Amar a Deus sobre todos as coisas, Amar ao próximo como a nós mesmos e Fazer pelo outro, o que gostaríamos que fizessem conosco... Esse já é o primeiro passo, no processo de compreensão do que é viver de fato a Caridade. 

Precisamos prestar mais atenção! Todos os dias somos chamados(as) a viver em comunhão com Deus e praticarmos pensamentos, palavras e ações de caridade.

Precisamos nos lembrar sempre! Fora da Caridade não há Salvação... Muitos serão chamados, mas poucos serão escolhidos! 

- O que temos feito com os chamados diários? 
- Que tipo de chamados estamos ouvindo? 
- Quais estamos atendendo? 
- O modo como ouvimos e atendendo aos chamados tem implicações significativas nos momentos das Escolhas Divinas.

Fiquemos Atentas e Atentos!

Por Ana Maria Louzada

Você também pode gostar de ler...

Compartilhando Ideias, Cores, Formas e Sabores 
http://aleideamor.blogspot.com.br/ 

Poesias, Contos e Crônicas 
http://coragemeluz.blogspot.com.br/ 

FAMÍLIA AMIGA: Educação e Diálogo 
http://refletindovygotsky.blogspot.com.br/

  E-artigos: Estudos, Atualização e Aprofundamento Teórico Prático

 

[1] KARDEC, Allan, LE, Cap. XVIII, p.357

Comentários

Postagens mais visitadas

A MORTE EXISTE? NÃO EXISTE MORTE? O que é a morte?

A VERDADEIRA PESSOA DO BEM

Amar descongestiona as impurezas do coração

A prática do AMOR: Amar intensamente... Amar verdadeiramente!

O VALOR DO SER HUMANO ESTÁ NA SUA MORTE OU NA SUA VIDA?

Reflexões sobre “O Pai Nosso”

“Ser” Educadora Infantil: Professora de Crianças...

O MELHOR E VERDADEIRO JEJUM

PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA